domingo, Março 27, 2011

Um desafio e uma homenagem à minha família!

Quando li o desafio do Cinco Quartos de Laranja e da RTP fiquei muito entusiasmada e resolvi fazer os Mexidos da minha avó, pois é uma sobremesa que está sempre presente em todos os Natais na nossa família. Apesar de nunca ter conhecido a minha avó, esta missão foi passada à minha mãe. Lembro-me que desde muito pequena passávamos a tarde, de 24,  a cortar as nozes, a pelar as amêndoas num convívio na cozinha. 
Como nasci nos anos 80 resolvi ligar às minhas tias e à  minha mãe na esperança de conseguir algumas recordações relacionadas com os preparativos da Ceia de Natal dos anos 60 e assim nasceu esta história.

Os meus avós maternos tiveram 6 filhos: dois rapazes e 4 raparigas. Escusado será dizer que havia sempre muita agitação por toda a casa. No entanto, a minha avó sempre foi uma pessoa muito calma e conseguia gerir a casa e ainda estar completamente apaixonada pelo meu avô. 
Nos anos 60, os preparativos do Natal começavam com a compra de um peru vivo na Praça de Santo António, 4 dias antes do Natal. Nessa altura, diversos homens levavam os seus perus e prendiam-nos com cordéis pelas patas na praça. A minha avó ia com a empregada para a ajudar trazer o peru vivo para casa. Este, mal chegava a casa, ia para marquise já preparada com jornais no chão. De seguida, a minha avó dava ao peru aguardente do Minho com jarro pequeno. Este cambaleava, pela marquise, até ter o seu fim e depois era depenado. No dia seguinte era colocado num alguidar com água, sal, limão e laranja e depois era pendurado nas torneiras do gás, por um cordel, onde passava a noite. Era recheado e só na manhã do dia 25 é que era colocado no forno para ser saboreado ao almoço. 
Os doces eram preparados no dia 24 e todos ajudavam. Uma das minhas tias ficava encarregue de fritar os sonhos e as fatias douradas; o meu avô abria as nozes (colocava duas nozes na mão e partia-as), o meu tio partia as amêndoas que depois eram escaldadas e todos ajudavam a tirar a pele e a minha avó ia fazendo várias sobremesas ao mesmo tempo que  coordenava tudo.
No jantar de 24 só se comia bacalhau e depois os meus avós e tios iam à missa do Galo. Só quando voltavam da missa é que comiam os doces: farófias, mexidos, sonhos, fatias douradas e também pãezinhos de leite com fiambre a acompanhar com uma garrafa de champanhe.
Agora o Natal é diferente, mas a comida é a mesma, especialmente os Mexidos que têm um lugar muito especial. Assim em homenagem à minha família e a todos os momentos que nos juntamos em torno da comida, resolvi fazer os famosos Mexidos da minha avó para este desafio. 




Ingredientes:
250 g de pão
250 g de açúcar
1 litro de leite
1 colher de sopa de manteiga
raspa de 1 limão
6 gemas
1 cálice de vinho do Porto
nozes
pinhões
passas
amêndoas


Corta-se o pão em pedaços.
Ferve-se o leite e verte-se sobre o pão tapando-se, de seguida, durante uns minutos.
Mexe-se com uma colher e de seguida desfaz-se com a varinha mágica.
Junta-se o açúcar, a manteiga, a raspa de limão e as gemas.
Vai ao lume, brando, e deixa-se a ferver durante 5 minutos, mexendo sempre.
Retira-se do lume e mistura-se o vinho do Porto e os frutos secos picados grosseiramente.
Coloca-se em taças de vidro polvilhadas com canela.


P.S. Na altura a minha avó não usava varinha mágica e desfazia os mexidos com uma colher de pau e depois passava num coador.

quinta-feira, Março 24, 2011

Bolachas de canela e laranja com sementes de papoila

Fiz estas bolachas como prenda do Dia do Pai. A cozinha ficou com um cheiro maravilhoso a canela e a laranja.



Ingredientes:
70 g de margarina
30 g de manteiga
3 colheres de sopa de mel
250 g de farinha
50 g de açúcar
raspa de 1 laranja
2 colheres de sopa de sumo de laranja
1 colheres de sopa de canela em pó

Num tacho, aquece-se a manteiga, a margarina e o mel.
Numa taça coloca-se a farinha, o açúcar e a canela em pó.
Abre-se um buraco no centro e verte-se a mistura de manteiga e mel e o sumo de laranja.
Mistura-se com as mãos.
Coloca-se num recipiente e vai ao congelador durante 30 minutos.
Num tabuleiro, forrado com papel vegetal ou tapete de silicone, colocam-se bolas pequenas da massa.
Com um grafo, marca-se as bolas e polvilham-se com as sementes de papoila.
Vai ao forno pré-aquecido a 150 graus.
Quando estiverem prontas deixa-se arrefecer numa grelha.

Esta receita foi inspirada nas receitas de bolachas com laranjas dos blogues: Gourmets Amadores e Tertúlia de Sabores.

domingo, Março 20, 2011

Arroz com salmão fumado e morangos

Para comemorar a chegada da Primavera.


Ingredientes:
1 chávena de arroz
2 chávenas de água
100 g de salmão fumado
200 g de morangos
400 g de espinafres congelados
azeite q.b.
sal q.b.
mistura de pimentas e coentros q.b.
vinagre balsâmico q.b


Coloca-se o arroz num tacho com um fio de azeite e vai ao lume.
Adiciona-se a água e o sal. Quando levantar fervura baixa-se o lume e tapa-se a panela.
Após 15 minutos retira-se do lume e coloca-se o arroz numa travessa para arrefecer.
Coze-se os espinafres seguindo as instruções da embalagem. Deixa-se arrefecer.
Lavam-se e cortam-se os morangos ao meio e depois em fatias finas.
Corta-se o salmão fumado em tiras finas.
Juntam-se todos os ingredientes e tempera-se com azeite, vinagre, sal e mistura de pimentas e coentros moída na hora.

Utilizei espinafres congelados, pois eram os únicos que tinha em casa, mas também deve ficar bom com folhas de espinafres frescas. Experimentem, também, adicionar frutos secos.

quarta-feira, Março 09, 2011

Bolo de maçã e bolacha

Andava com vontade de fazer um bolo na minha forma inglês (não perguntem porquê) e assim nasceu este bolo de maçã que resolvi complementar com bolachas. Só não desapareceu na própria noite, pois ainda tinha de tirar fotografia. Assim que tratei da foto a fatia voou à velocidade da luz.


Ingredientes:
150 g de manteiga
150 g de farinha sem fermento
150 g de açúcar
3 ovos
2 maçãs
70 g de bolachas
50 ml de leite
2 colheres de chá de fermento em pó
1 colher de chá de canela em pó
noz moscada ralada q.b.

Bate-se na máquina a manteiga e o açúcar até ficar esbranquiçado (a manteiga não poderá estar muito fria).
Juntam-se os ovos 1 a 1, alternando com 1 colher de sopa de farinha. Junta-se o leite e bate-se mais um pouco.
Num pilão esmagam-se as bolachas grosseiramente. 
Descascam-se as maçãs em gomos e de seguida cortam-se fatias finas de cada gomo.
O restante da farinha, as maçãs, as bolachas, noz moscada e a canela adicionam-se à massa e mistura-se com uma colher.
Coloca-se numa forma untada com manteiga e vai ao forno pré-aquecido a 150 graus.
Para verificar se já está pronto, espeta-se um palito no centro do bolo e este terá de sair seco.
Deixa-se arrefecer um pouco e desenforma-se.

Este bolo quente é maravilhoso, pois fica estaladiço. Nesta receita utilizei bolachas tostadas, mas experimentem colocar bolachas com chocolate (também tenho de experimentar :) ).

domingo, Março 06, 2011

Bolachas de alfarroba

Por vezes temos fases em que estamos mais silenciosos. Não é mau nem bom... é simplesmente assim.



Ingredientes
200 g de manteiga
170 g de farinha de alfarroba
100 g de farinha com fermento
1 ovo
90 g de açúcar em pó

Numa taça juntam-se a manteiga cortada em pedaços pequenos, a farinha e o açúcar peneirados e todos os outros ingredientes até se formar uma bola.
Envolve-se a massa com película transparente e vai ao frigorífico, pelo menos 30 minutos.
Formam-se bolas pequenas e colocam-se num tabuleiro forrado com papel vegetal ou tapete de silicone.
Vai ao forno pré-aquecido a 200 graus.

São óptimas para acompanhar com chá, café ou um copo de leite gelado.

terça-feira, Março 01, 2011

Bolo de chocolate com recheio de chá verde!

Costumo fazer este bolo para as festas de anos, pois é compacto suficiente para esculpir e facilmente se cobre com pasta de açúcar ou outras do género. Este foi o bolo que fiz para a última festa de família em que comemorámos 7 aniversários. Na verdade tínhamos estado todos juntos no mês passado, mas o mês de Fevereiro é pior que a época natalícia. Agora sim podemos repousar de todos os excessos... ou não, já que a gula é mais forte :)


Ingredientes:
6 ovos
380 g de farinha com fermento
190 g de farinha sem fermento
380 g de manteiga
380 g de açúcar
2 colheres de chá de essência de baunilha
125 g de leite
70 g de chocolate em pó
recheio:
650 g de chocolate de leite
600 ml de natas
30 g de chá verde


Mistura-se numa tigela a farinha com fermento e a farinha sem fermento.
Adiciona-se o açúcar à manteiga, amolecida, e bate-se, na batedeira, até ficar uma mistura esbranquiçada e macia.
Posteriormente, com a batedeira ligada, juntam-se os ovos um a um, alternando com duas colheres de mistura das farinhas. Junta-se o leite e o chocolate em pó.
À mão, mistura-se a restante farinha.
Coloca-se a massa numa forma untada com manteiga, formando uma concavidade no centro.
Vai ao forno pré-aquecido a 160 graus. Está pronto quando se espetar um palito e este sair seco. Este demorou 50 minutos a cozer.
Retira-se da forma e deixa-se arrefecer. Corta-se o bolo, horizontalmente, em duas partes iguais.
Para o recheio, aquece-se as natas numa panela.
Adiciona-se o chá, quando as natas estiverem a ferver, e deixa-se um pouco no lume, mexendo sempre.
Num tigela à parte, corta-se o chocolate em pedaços pequenos.
Verte-se as natas para a taça usando um passador para não irem folhas de chá.
Mistura-se até o chocolate estar derretido.
Verte-se metade da mistura do recheio numa das metades do bolo.
Tapa-se com a outra metade do bolo e cobre-se com o restante recheio.
Deixa-se repousar, pelo menos 1 hora para comer. 

A receita de base tirei do livro da da Debbie Brown (50 Bolos de Festas), mas acrescentei mais leite e chocolate. Esta fatia foi a que sobreviveu à festa e coloquei-a uns segundos no micro-ondas para derreter o chocolate :)